30 outubro, 2007

Manha húmida



Adormeci...
Já era tarde quando me despedi de ti, dei-te um curto beijo mas ainda assim intenso o suficiente para te aquecer a tua boca, fria como o tempo que se fazia sentir à noite. Pus-me a caminho de casa, desesperado por me encontrar com o conforto e calor da minha cama, deitei-me e pensei em ti, apetecia-me um beijo, uma carícia ou simplesmente que pudesses estar ali para me aquecer...


Sonhei...
Entrei na tua casa pela calada da noite, descalço entrei no teu quarto e nu me deitei a teu lado, abracei-te e beijei uma orelha e disse baixinho "estou aqui para te comer". Acordas-te, retribuíste-me com um doce beijo na minha boca, que pedia mais e por mais. Desejávamos o mesmo, não havia como resistir, alias-te a tua loucura á minha e deixámos que ela nos levasse. Baixei rapidamente a minha roupa inferior, e fiz com que todo o vazio do teu Ser, fosse preenchido por algo quente e repleto de vontade para tornar cada centímetro, cada bocadinho, num imenso prazer...


Acordei...
Depois? Bem, depois já eram quase onze horas quando olhei para o relógio na manhã seguinte, não era difícil relembrar-me do que tinha acontecido no sonho, tinha um pouco dos boxers molhados na zona do sexo que estava grande e desesperado por sair daquele sufoco. Fiz-lhe a vontade. Soltei-o e acalmei-o, com gestos e movimentos descendentes e ascendentes, num ritmo alucinado para pouco depois o sentir tonto. Vomitou então uma boa parte do meu abdómen. Foi bom, mas anseio a próxima vez, em que terei a suave pele da tua mão...

Johnny © 2007

1 comentário: